Prefeitura de Nova Iguaçu promove o plantio de mil mudas na Serra do Vulcão

Para celebrar o Dia Nacional da Mata Atlântica, comemorado em 27 de maio, a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Nova Iguaçu promoveu, neste sábado (28), uma ação de reflorestamento com o plantio de mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica. A atividade aconteceu na Serra do Vulcão e contou com o apoio da Guarda Ambiental e agentes do Parque Natural Municipal, além de diversas instituições voltadas ao cuidado e preservação do meio ambiente, entre elas o Instituto EAE (Educação Ambiental e Ecoturismo), a Cedae e o Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

Cerca de 250 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, aproveitaram o dia de sol para plantar e curtir as belezas naturais do local. Divididas em grupos, elas receberam orientações para a acomodação das mudas. Quem passou pelo local também pode se informar sobre educação ambiental. Nas tendas, foram apresentadas orientações sobre os cuidados ambientais, espécies, árvores e animais. Não faltaram fotos, vídeos, momentos de alegria e conscientização com a área.

“Cerca de 50% do território de Nova Iguaçu ainda é de floresta de Mata Atlântica, que tem um bioma com a maior diversidade no Brasil, mas sofre grande ameaça. Esse desafio da preservação tem que ser repartido por toda a sociedade. Então promovemos o plantio com este objetivo, de juntar todos os tipos de público da sociedade para esse esforço de reflorestamento, ajudando a despertar o papel de cidadão de cada um e de cada instituição”, explica o Secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Nova Iguaçu, Fernando Cid.

O plantio em família foi a ação mais comum na Serra do Vulcão. A veterinária Tatiana Marinho, de 43 anos, aproveitou o programa ao ar livre com o marido e engenheiro civil, Rodrigo Timóteo, de 41, e o filho Arthur, de 8, que disse que o verde é sua cor favorita. Coube ao pequeno fazer o plantio da muda com a ajuda dos pais. Tatiana conta que sempre que pode, insere em sua rotina atividades como esta.

“Temos conversado muito em participar de ações ao ar livre, principalmente depois do período de pandemia que vivemos. Ficamos sabendo do plantio e viemos. Meu filho está estudando a preservação ambiental e a gente achou que essa atividade seria bem interessante para ele estar próximo à natureza e também de conhecer as belezas da cidade”, conta Tatiana.

A professora Edileuza Dias, de 50 anos, convidou a população para participar cada vez mais de ações importantes de reflorestamento e de orientações para evitar o desmatamento. Ela, que faz uma pesquisa no Parque Natural Municipal, também composto por área de Mata Atlântica, elogiou a iniciativa.“Temos que fazer ações de reflorestamento e conscientização sempre que for possível e convidar a população para essa causa importante. Isso seria o ideal para cuidar do nosso meio ambiente”, ressalta a pesquisadora.

As amigas Marcelle Vieira, de 27 anos, e Thainá Martins, de 28, foram juntas ao evento e plantaram mudas ao lado dos seus irmãos. Elas reforçaram o pedido de cuidados com o meio ambiente.

“O objetivo é trazer mais mudas para a mata atlântica e fazer um bioma propício para mostrar à criançada o que é o melhor para o nosso futuro. Aqui nós estamos plantando hoje para colher amanhã”, conta Marcelle, ao lado de Alex, seu irmão, de 9 anos.

“O reflorestamento melhora a qualidade de vida para a minha e para a sua família. Tem uma frase que sempre ouvimos que é: pense globalmente e aja localmente”, conclui Thainá, que plantou a muda com o irmão Allan, de 13 anos.