Nova Iguaçu vai lançar campanha educativa para reduzir número de queimadas na mata

Atenta ao período de queimadas que começa em junho, a Prefeitura de Nova Iguaçu vai lançar campanhas educativas em regiões com maiores índices de incêndios florestais. Agentes da Guarda Ambiental Municipal (GAM), da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMADETUR), irão distribuir panfletos para orientar a população sobre os perigos de atear fogo na mata e suas consequências. A SEMADETUR também utilizará outdoors na divulgação.

O risco de incêndios florestais na Serra de Madureira está no nível considerado muito elevado, segundo uma tabela elaborada pela SEMADETUR. O aumento se deve ao outono e a baixa umidade relativa do ar, que está em torno de 40%. Além disso, ventos fortes, uma característica da atual estação, acabam propagando a queimada na mata seca, em sua maioria provocada pelo homem. Vale lembrar que provocar incêndio em mata ou floresta é crime, sob pena de reclusão, de dois a quatro anos, além de multa.

A fumaça ainda é prejudicial à saúde, principalmente em período de pandemia da Covid-19, que ataca os pulmões, deixando a pessoa com a respiração fragilizada. A cidade registrou em maio deste ano, cinco casos de incêndios. São três a mais que o mesmo período de 2019.

“Vamos continuar fiscalizando e fazendo vistorias em nossas áreas com a guarda ambiental. Muitos destes incêndios são criminosos”, afirma a secretária de Meio Ambiente, Fernanda Braga. “Vamos fazer campanhas educativas para evitar que mais casos aconteçam”.

Em 2019 foram registrados oito incêndios florestais, mas os casos nesses cinco primeiros meses de 2020 chegam 12 incidentes. O número de hectares queimados também teve aumento este ano. De janeiro a maio de 2019 foram atingidos mais de 16 hectares, enquanto no mesmo período de 2020, mais de 33. Entre os locais com maiores registros de queimadas estão o Morro da Botinha, Morro do Cruzeiro e o local conhecido como ‘Vai e Vem’, todos no bairro do K-11, e na região próxima ao bairro do Danon. O município, que tem cerca de 65% de seu território composto por áreas de proteção ambiental cobertas pela Mata Atlântica, conta com 22 agentes da Guarda Ambiental Municipal.