Música na Natureza chega a sua 7° edição com samba 

No Dia Nacional do Samba (2/12), o ritmo fechou com chave de ouro o ano de 2018 do projeto Música na Natureza,  neste domingo, no Parque Natural Municipal  de Nova Iguaçu (Parque do Vulcão). Com muito samba no pé, os turistas que estiveram no parque curtiram a natureza ao som do grupo Expressão e do cantor Cremilson Bico Doce. Além das apresentações musicais, teve ainda roda de samba com o grupo Terra. O projeto é realizado pela Prefeitura de Nova Iguaçu, através da Secretaria de Meio Ambiente, Agriculta, Desenvolvimento Econômico e Turismo.
Ao longo do ano, em suas sete edições, mais de 1.500 pessoas participaram do Música da Natureza, que já levou diversos estilos musicais, como Jazz, Chorinho, música Clássica, Orquestra e até um tributo ao cantor Emílio Santiago.
“Essa é a segunda vez que venho e sempre tem uma novidade. É um ambiente agradável, seguro e familiar. Uma ótima opção de lazer, e melhor, gratuita”, disse o aposentado morador do bairro K11, Edió Silveiro Fortes, de 68 anos, conhecido na roda de samba como Dinho, que ao  lado da esposa, Maria Helena Vergínio de Paiva, de 62 anos, mostrou que tem samba no pé.
Segundo o secretário de Meio Ambiente,  Fernando Cid, para o próximo ano estão previstas 12 edições do Música da Natureza, uma por mês.
“Este projeto é uma maneira de valorizar os espaços do Parque Natural, trazendo o pertencimento do local aos iguaçuanos e também aos turistas de toda a Baixada e do Rio. Cerca de 70% do território de Nova Iguaçu é de área de proteção ambiental, trazer atividades como esta é um avanço na política pública de turismo e lazer da cidade”, enfatiza.
Outra novidade para 2019, serão as obras de melhorias na infraestrutura do Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu. Depois de 12 anos tramitando na Câmara de Compensação Ambiental, do Governo do Estado, a Prefeitura de Nova Iguaçu conseguiu liberar o processo que viabiliza o financiamento de R$ 1, 5 milhão para  reforma do alojamento da Guarda Ambiental do Parque, além da construção de espaços para pesquisadores e área de educação ambiental. A previsão é de que as obras sejam concluídas no segundo semestre de 2019.