Projeto ensina história da cidade a alunos de Austin

O Vulcão de Nova Iguaçu, localizado na Serra do Vulcão, na parte do Maciço do Gericinó ou Serra do Mendanha, dentro do Parque Municipal, foi uma das curiosidades sobre a história da cidade descobertas por David Santos de Almeida, de apenas 10 anos, aluno da 4ª série da Escola Municipal José Brigagão Ferreira, em Austin. David foi um dos cerca de 30 alunos da escola que participaram do projeto “Nossa Terra Tem Talento”, que visa ensinar de forma lúdica a história de Nova Iguaçu.
Os estudantes pesquisaram na Internet sobre a cidade e produziram um vídeo de 13 minutos com informações de pontos históricos, como a Fazenda São Bernardino, Igreja de Santo Antônio e a Reserva Biológica de Tinguá. A ideia é levar o vídeo – produzido em novembro – a outras escolas municipais para incentivar os alunos a produzirem trabalhos de pesquisa sobre a cidade, estimulando-os a conhecer o valor histórico do município.

“Não sabia o motivo de Nova Iguaçu ser conhecida como Cidade Perfume. Mas o que mais me causou impacto foi saber da existência de um vulcão. Fiquei achando que ele poderia entrar em erupção e causar uma tragédia, mas fiquei aliviado quando descobri que ele já estava extinto”, contou David, morador de Carlos Sampaio, em Austin.

Professora da Escola José Brigagão Ferreira, Vanessa Teixeira Soares, explicou que o vídeo está despertando o interesse dos alunos pelo valor histórico de Nova Iguaçu. Segundo ela, o trabalho foi de inclusão e gerou impacto sobre diversos temas. “Um dos alunos que participou tem autismo. Ele ficou encantado com a história da cidade onde vive. Além do vulcão, ficaram surpresos com a possibilidade de Dom Pedro ter passado pela Fazenda São Bernardino”, disse Vanessa.

Outra surpresa para os estudantes foi a emancipação dos municípios de Duque de Caxias, Nilópolis, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita, Japeri e Queimados que deixaram de pertencer à Nova Iguaçu. Para Eduardo Soares do Rosário, de 10 anos, o projeto “Nossa Terra Tem Talento” o estimulou não só a pesquisar sobre a cidade, mas em se tornar um professor de história. “Fiquei ainda mais curioso em aprender sobre o Cemitério dos Escravos, a Fazenda São Bernardino e a Igreja de Santo Antônio, assim como o brasão de Nova Iguaçu e seu significado. Quero conhecer estes locais pessoalmente e vou estudar para me tornar um excelente professor e historiador”, afirmou Eduardo.

Já a estudante Tamires Cristina de Carvalho, de 10 anos, se encantou com a história dos plantios de café e laranja. “As fotos da área rural me causaram muita curiosidade, assim como os outros nomes da cidade, como Vila de Iguassú e Maxambomba”, contou ela. A Secretaria Municipal de Educação deve levar no próximo ano, estudantes da rede de ensino para conhecer os locais históricos da cidade. “Nova Iguaçu completa 186 anos de história no dia 15 de janeiro. O município carrega uma bagagem cultural que tem que ser conhecida por nossos estudantes”, afirma a professora Vanessa.