Classe Hospitalar do HGNI promove a semana da cultura negra

Para celebrar o Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, a Classe Hospitalar do Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) está promovendo a semana da cultura negra com o intuito de mostrar a valorização do povo negro. As atividades começaram nesta quarta-feira (16), com a contação de histórias realizada pelo projeto “Boa Leitura”, que pertence ao Núcleo de Atendimento Religioso (NAR). As crianças internadas e seus acompanhantes participaram da dinâmica.

A Classe Hospitalar leva conteúdo educacional às crianças internadas, oferecendo a possibilidade da continuidade dos estudos durante este período. Funciona como uma escola dentro de um hospital e trabalha o calendário de datas comemorativas. Para esta semana da cultura negra foi criada uma programação para os pacientes com atividades que ressaltam a conscientização, a luta, o respeito às diferenças e a diversidade.

“Nosso foco é estimular o nosso aluno/paciente a desenvolver uma consciência crítica sobre o tema para que ele possa lidar com as diversidades, trabalhar o respeito, às diferenças e conhecer um pouco da importância da pessoa negra na construção da história do nosso país. Sem dúvida esse assunto deve ser amplamente divulgado em todos os projetos”, explica a professora da Classe Hospitalar, Rosemary Mello.

Além da contação de histórias nesta quarta, a programação da semana da cultura negra segue, na quinta-feira (17), com um cineminha na sala de aula para os pacientes. Na sexta (18), acontecem os jogos pedagógicos e a confecção dos colares africanos. Encerrando as atividades, na segunda (21), será o Dia da Beleza Afro, uma parceria com o NAR onde os voluntários vão oferecer às mães, acompanhantes e crianças, um serviço completo de cabelo, unha e sobrancelhas. O objetivo é trabalhar a autoestima e o empoderamento da mulher negra. Haverá também a exposição dos colares africanos, bonecas abayomi e de fuxico. Além disso, os participantes das atividades poderão fazer fotos posadas, uma alusão à obra de Di Cavalcanti, chamada “Mulheres na Janela”.