Alunos da educação especial de escola municipal de Nova Iguaçu combatem o bullying com criatividade e arte

“Não façam bullying”, “Palavras machucam”, “Bullying é crime e covardia” e “Bullying deixa marcas”. Produzidas por alunos da turma da educação especial da Escola Municipal Estanislau Ribeiro do Amaral, essas mensagens de combate ao bullying decoraram pipas brancas que foram vistas no céu do bairro da Cerâmica, nesta terça-feira (22). A iniciativa faz parte do “Prevenir é a melhor atitude: Basta de bullying nas escolas!”, da Secretaria Municipal de Educação de Nova Iguaçu, projeto que está acontecendo em todas as unidades escolares da cidade.

O projeto tem rodas de conversas, teatro, dramatizações, sessões de filmes, textos e reflexões, tarefas interdisciplinares, elaboração de jogos dinâmicos, entre outros. A ação envolve toda a comunidade escolar: alunos do infantil ou EJA (Educação de Jovens e Adultos), responsáveis, professores e funcionários da escola.

Na Escola Estanislau, o projeto focou no combate ao bullying, com o tema “Bullying não é legal, vamos colorir de amor o céu da Estanislau”. Durante duas semanas, 21 alunos da educação especial e representantes de turmas da escola, ornamentaram as pipas. Grande parte delas foi colocada estrategicamente nos corredores e entradas das salas de aula para chamar a atenção dos alunos. Algumas foram colocadas no céu pelos estudantes na quadra esportiva da unidade. Eles ainda usaram balões brancos para pedir paz, amor e respeito. O programa da Educação Especial envolve todos os professores de Atendimento Educacional Especializado assim como os agentes de Apoio à Inclusão.

“Precisamos estar a todo tempo combatendo o bullying e desenvolvemos esse projeto por meio de pipas. Elas foram soltas pela comunidade para chamar atenção de todos. O bacana desse programa foi o aluno da educação especial mostrar sua arte e criatividade no combate ao bullying. Muitos não sabiam que isso é crime e eles podem, a partir de agora, identificar o bullying”, comentou a professora Vânia Brum Rodrigues Damasceno.

Aluno da educação especial, Cauã Brito de Oliveira, de 11 anos, contou que gostou de ornamentar as pipas e espera decorar outras na escola.
“Eu sou contra o bullying e vou fazer ainda mais pipas como estas”, afirmou o menino, um dos mais entusiasmados com as pipas.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Maria Virgínia Andrade, o projeto quer criar um ambiente saudável para que a convivência entre todos tenha respeito e empatia, uma comunicação não violenta, para mudanças no ambiente escolar e na sociedade em geral.

“Respeito sempre às diversidades é no que acreditamos e desenvolvemos nas unidades escolares da rede municipal da cidade de Nova Iguaçu”, destacou a secretária.