Alunos de Nova Iguaçu visitam histórica Estação de Tratamento de Água Rio d’Ouro

Alunos da Escola Municipalizada Jaceruba, situada no bairro de mesmo nome, em Nova Iguaçu, fizeram uma viagem no tempo nesta terça-feira (23). Eles visitaram a Estação de Tratamento de Água (ETA) Rio D’ouro, construída no século XIX, responsável pela captação de água para o abastecimento de cidades da Baixada Fluminense. A atividade fez parte dos eventos em celebração à Semana da Água, promovidos pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM).

A visita foi a oportunidade que os estudantes tiveram para uma aula diferente, ao ar livre e que contou parte da história de Nova Iguaçu no fim do século retrasado. Inaugurada em 1880 pelo imperador D. Pedro II, a unidade tinha como objetivo captar as águas dos mananciais de Tinguá e abastecer a capital do Império. Para isso, foram necessários cerca de 45 quilômetros de tubos de ferro fundido assentados da cidade-mãe da Baixada Fluminense até o Rio de Janeiro.

“Podemos afirmar que esta foi uma das maiores obras daquela época, não só a nível nacional, mas em toda a América Latina, devido à sua complexidade. Os tubos foram importados da Inglaterra e assentados ao longo da Estrada de Ferro Rio d’Ouro, construída à época para a logística da obra e que tornou-se um grande complexo ferroviário. Uma obra de engenharia fantástica que perdura por mais de 140 anos e revela muito bem a grandiosidade da nossa contribuição histórica”, explica o historiador Antônio Lacerda, coordenador do Arquivo Histórico da Diocese de Nova Iguaçu.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Fernando Cid, também esteve presente e lembrou que a falta d’água, realidade ainda vivida por muitas pessoas em todo o planeta, é um problema histórico e que só será resolvido por meio da conscientização ambiental.

“Somente uma a cada três pessoas em todo o mundo tem acesso à água potável. E este lugar é incrível não somente do ponto de vista histórico, mas também ambiental por tudo o que significa para a Baixada Fluminense e a Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Temos como desafio preservar a rica história aqui contida e também cuidar da natureza para que cada vez mais pessoas tenham este acesso”, afirma o secretário.

Um dos alunos mais participativos durante a visita guiada foi Luan Ribeiro da Silva, 15 anos. Ele conta que já havia feito pesquisas na internet sobre a ETA Rio d’Ouro e fez coro com o secretário Fernando Cid quanto à questão dos cuidados com o meio ambiente. “Conhecer a estação foi uma experiência muito interessante. Poucos são os lugares que têm essa riqueza natural que Nova Iguaçu possui. Por isso é tão importante preservar a natureza e a água, pois dependemos dela para nossa sobrevivência”, ressalta o estudante do 9º ano.

Além dos estudantes e de membros da SEMAM e da Guarda Ambiental Municipal, também participaram da visita representantes das empresas Condor – Tecnologias não letais, Furnas, do CEPEL (Centro de Pesquisa de Energia Elétrica) e do CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica).

A programação da Semana da Água continua nesta quinta-feira (24) com o Plano Municipal de Educação Ambiental, no qual será apresentado o projeto “Rede Educadora”. A atividade será realizada na Casa do Professor, sede da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), a partir das 10h.

O encerramento da semana de eventos acontece no domingo (27) com um passeio ciclístico do Centro de Nova Iguaçu ao Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu, onde acontece o projeto “Música na Natureza”, edição “Ao Som das Águas do Parque”, que terá a apresentação de Robson Valentin e Marlon Esteves. A largada será às 9h, no Paço Municipal, sede da Prefeitura.