Nova Iguaçu vacina mais de 82 mil cães e gatos contra a raiva

A Prefeitura de Nova Iguaçu, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), promoveu, neste sábado (25), o Dia D de Vacinação Antirrábica Animal. Milhares de pessoas aproveitaram o dia ensolarado para levar cães e gatos para receberem a imunização anual. Mais de 82 mil “filhos de quatro patas” foram atendidos em mais de 70 pontos de vacinação disponibilizados pela por toda a cidade. A iniciativa teve o apoio da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), que disponibilizou quase metade das escolas da rede para a ação.

Na Posse, por exemplo, a ida ao posto de imunização acabou se transformando em um programa em família. A dona de casa Selma Regina Vieira, 47 anos, foi à Escola Municipal Dr. Orlando Mello acompanhada das filhas Mariana, 14, e Sthefany, 19. Elas levaram os cães Joaquim e Penelope e a gata Valentina para serem vacinados contra a raiva.

“A vacinação é muito importante para manter os animais saudáveis e nos proteger também. Ainda vamos em casa buscar mais dois animais e trazer aqui”, disse Selma, “mãe” também do cão Mali e do gato Félix. “Esta é só a primeira viagem”, brinca a dona de casa.

Moradora do Centro de Nova Iguaçu, a estudante Melissa Guerra, 23 anos, levou a Polly para tomar a vacina na E.M. Marechal Mascarenhas de Morais. Ela conta que a família adotou a cadela há 15 anos, quando a encontrou na rua. A jovem garante que a melhor forma de demonstrar amor ao animal de estimação é com muito carinho e cuidados com a saúde.

“Além de brincar com a Polly, eu sempre levo ao veterinário e mantenho a caderneta de vacinação em dia. Acho muito fundamental campanhas como esta, pois eu não gastaria menos que R$ 100 para vacinar em uma clínica veterinária. Quando o animal não é vacinado, o ser humano também pode ser afetado”, alerta Melissa.

O profissional de Educação Física Thiago Henrique Timóteo, 34 anos, levou seu cão, o Bolt, ao CIEP 071 Maximiano Ribeiro da Silva, em Jardim Iguaçu, e também lembrou a importância da vacina para a proteção do animal e da família. “Ele fica muito em contato com a gente. Estamos sempre tomando os cuidados necessários para que ele tenha uma vida saudável”.

Já a auxiliar de serviços gerais Márcia da Silveira Amorim da Costa, 55 anos, esteve na mesma unidade e ficou surpresa positivamente com a habilidade dos profissionais que estavam aplicando a vacina. “Eu trouxe quatro gatos e achei que fosse ser difícil, pois sempre que eu os levo para tomar alguma vacina eles ficam assustados. Hoje, foi supertranquilo, eles não deram trabalho”, comemorou.

A vacina antirrábica deve ser administrada anualmente e é a principal forma de prevenção e controle da raiva. Essa doença é infecciosa, transmitida por um vírus, que afeta todos os mamíferos com letalidade de 100%. O contágio no ser humano pela raiva acontece pela mordida de cão ou gato.