Prefeitura de Nova Iguaçu inicia obra de reforma e ampliação do Hospital de Iguassú

Erguido na década de 1930, com direito a pedra fundamental lançada pelo presidente Getúlio Vargas, e de portas fechadas desde 2009, o Hospital de Iguassú será reaberto. A unidade, situada no Centro de Nova Iguaçu, passará por uma reforma e ampliação com adequação e modernização. A obra foi iniciada nesta segunda-feira (29) e deve ser concluída em oito meses.

“A reabertura do Hospital de Iguassú é um sonho antigo da população e um desejo nosso desde o primeiro dia de gestão. Apesar disso, primeiro foi necessário resolver problemas jurídicos que impediam este passo. Depois foi preciso fazer um projeto, que não é simples, para adequar a estrutura, que já tem 85 anos, de maneira que ela obedeça às exigências existentes para o funcionamento de um hospital”, explica o prefeito de Nova Iguaçu, Rogerio Lisboa.

 

Para que o hospital possa ser reaberto, a Prefeitura de Nova Iguaçu terá que atender às normas estabelecidas pela resolução RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002 (dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde), e também NBR 9050, de 30 de junho de 2004, da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT (estabelece critérios e parâmetros técnicos aplicáveis a projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade).

Arquitetos da Secretaria Municipal de Infraestrutura (SEMIF), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), desenvolveram o projeto de reforma e ampliação da unidade. Para isto, foram necessários dois meses de muito estudo sobre o edifício octogenário e visitas em outros hospitais que serviram como referência. Segundo o secretário municipal de Saúde, Manoel Barreto, um dos principais desafios foi aproveitar os espaços existentes.

“Tivemos que criar todo um fluxo de direcionamento para a adequação do hospital, pois a RDC 50 é bem exigente quanto a isso. Este foi nosso ponto de partida para poder definir como será cada ambiente. A partir dele, traçamos como seriam divididos os setores, estudamos o funcionamento do hospital de acordo com o que a norma estabelece desde o momento que o paciente dá entrada na unidade até a sala de cirurgia”, revela Manoel. “A obra no Hospital de Iguassú irá desde a recuperação da parte elétrica e hidráulica até mesmo ao alargamento de portas, substituição de piso e criação de novas rampas de acessibilidade”.

Imbróglio judicial

Crédito – Coleção Marcus Monteiro: O Hospital de Iguassú ao lado do edifício do Fórum e Cadeia, que depois de demolido daria lugar a Igreja de Nossa Senhora de Fátima e São Jorge

 

O Hospital de Iguassú foi construído pela Prefeitura em uma praça pública (Praça João Pessoa) e inaugurado em 31 de março de 1935 pelo então prefeito Sebastião Arruda Negreiros. Desde então, passou a ser administrada pela Associação de Caridade Hospital Iguaçu para que fizesse funcionar ali um hospital filantrópico para atender à toda a população da cidade. Mais de 80 anos após sua abertura, a atual gestão municipal precisou resolver um imbróglio judicial a respeito da propriedade do imóvel, situado na Rua Getúlio Vargas nº 222, Centro.

A Associação de Caridade reivindicava a posse do terreno, mas a Prefeitura assegurou seu direito sobre o imóvel, uma vez que a posse da gestão não implicou na transferência da propriedade. Somente após a disputa judicial vencida pela Prefeitura foi possível abrir processo de licitação, homologado na semana passada, e iniciar a obra.