Prefeitura de Nova Iguaçu intensifica ações de fiscalização no acesso ao Calçadão

No segundo dia de restrição parcial ao Calçadão, a Prefeitura de Nova Iguaçu fez algumas alterações quanto ao acesso às ruas. As 13 barreiras sanitárias montadas com grades continuam funcionando, com o controle de acesso feito por agentes da Ordem Pública da Secretaria de Segurança Pública, com apoio da Guarda Ambiental, Segurança Presente e Polícia Militar, mas apenas quatro estão permitindo a entrada e saída ao principal polo comercial do município. Todos os demais pontos de bloqueios não permitem. As ruas de acesso ao Calçadão permanecem fechadas para o trânsito.

As quatro barreiras sanitárias que têm acesso de entrada e saída de pessoas são as seguintes:
– Avenida Governador Amaral Peixoto com Rua Doutor Barros Júnior;
– Avenida Governador Portela com Rua Coronel Francisco Soares;
– Avenida Nilo Peçanha com Avenida Marechal Floriano Peixoto;
– Avenida Nilo Peçanha com Via Light.


“Tivemos um aumento no controle da rigorosidade na cobrança de documentações que comprovem o acesso a algum tipo de comércio que está permitido funcionar. Isso facilitou, por exemplo, que as agências bancárias pudessem organizar melhor suas filas”, afirma o secretário de Segurança Pública de Nova Iguaçu, Igor Porto. “Os bancos que já foram notificados por não respeitarem as medidas contra aglomeração, poderão receber multa de até R$10 mil por dia se não se ajustarem”.

O objetivo da ação nas imediações de um dos principais pontos de movimentação do Centro do município, que acontecerá inicialmente até o dia 20 de maio, de segunda-feira a sábado, entre 5h30 às 18h, é diminuir o fluxo de pessoas no local e conscientizá-las para que elas só circulem no local em busca de serviços essenciais. A população também pode ajudar o poder público denunciando lugares irregulares pelo Disk Aglomeração, no número de WhatsApp (21) 99139-1338, pelo telefone (21) 2666-0175 ou e-mail: denuncia@semseg.com.br.

Sobre o decreto presidencial publicado nesta segunda-feira (11), que incluiu academias, salões de beleza e barbeiros como serviços essenciais durante a pandemia, o prefeito Rogerio Lisboa optou em não permitir o funcionamento desses estabelecimentos em Nova Iguaçu.

“Decidimos manter o fechamento das academias, barbearias e dos salões de beleza porque o nível de contaminação nessa região da Baixada Fluminense continua muito alto”, afirma o prefeito de Nova Iguaçu, Rogerio Lisboa.