Prefeitura de Nova Iguaçu continua entregando telhas na cidade

A Prefeitura de Nova Iguaçu continua ajudando os moradores que perderam a cobertura de suas casas durante o temporal de granizo que atingiu a cidade no último dia 25. Neste domingo (3), não foi diferente. Elas foram distribuídas em localidades como Cacuia, Rodilândia, Mariléia, Ferroviário (Austin) e Comendador Soares, beneficiando cerca de 700 famílias.

“Não vamos descansar até ajudar a todos que foram prejudicados nesta chuva de granizo, a maior da história de Nova Iguaçu. Mesmo em crise estamos entregando as telhas. Só neste domingo vamos fazer uma cobertura de 100 mil metros quadrados de telha. Esse desastre natural desencadeou num problema social”, afirmou o prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa.

Ainda segundo ele, as telhas devem ser entregues até o fim da próxima semana. Dez caminhões, direto da fábrica, chegaram à cidade carregados com 10.400 telhas. A Prefeitura está entregando uma média de 8 mil telhas por dia.

Na Praça do Vasquinho, no Cacuia, diversas pessoas acordaram cedo para pegar as telhas. Uma longa fila foi formada. Muitos contaram com a solidariedade de vizinhos como o professor Júlio Alexandre dos Santos, de 43 anos.

“Estou desempregado e não tenho dinheiro para comprar as telhas. Se não fosse pela doação da prefeitura não sei como seria daqui pra frente. Perdi quase tudo dentro de casa”, lembrou emocionado o morador do Morro da Moenda, em Tinguazinho.

Agentes da Guarda Ambiental, Ordem Urbana, Assistência Social, Infraestrutura, Defesa Civil, policiais militares do 20º BPM (Mesquita) e do programa Segurança Presente de Austin deram apoio na entrega das telhas, que continua nesta segunda-feira. A distribuição das telhas prioriza famílias com crianças, idosos, pessoas com deficiência ou em situação de pobreza.

No Mariléia, duas mulheres chamaram atenção por sua disposição. Uma delas, a dona de casa Maria Aparecida, de 63 anos, enquanto carregava as telhas nas mãos e as colocava num carro emprestado por um vizinho. Já a aposentada Nair da Silva, 83, recebeu ajuda de outros moradores para transportar as telhas.

“É na solidariedade de alguns que ganhamos força para seguir firme. Felizmente não choveu e recebemos as telhas de forma rápida. Minhas telhas ficaram todas destruídas. No dia da chuva de granizo foi assustador. Agora é recomeçar”, contou Nair.