Cônsul Geral da Espanha e arquiteto consultor da Unesco visitam patrimônios culturais de Nova Iguaçu

Nova Iguaçu recebeu, na tarde de sexta-feira (10), as visitas do arquiteto e consultor do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e da Unesco, Carlos Fernando de Moura Delphim, e do Cônsul Geral da Espanha no Rio de Janeiro, Luís Prados Covarrubias. Acompanhados pelo historiador e secretário municipal de Cultura, Marcus Monteiro, eles conheceram Iguassú Velho, na região do Tinguá, berço da Baixada Fluminense.

O arquiteto e o cônsul visitaram as ruínas da Fazenda São Bernardino, a Torre Sineira da antiga Igreja Matriz, os cemitérios da antiga Vila de Nossa Senhora da Piedade de Iguassú e da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, além do Porto de Iguassú, todos patrimônios tombados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC).

As construções, algumas datadas do século XVII, encantaram os visitantes. Segundo Carlos Fernando, elas fazem parte da história não somente da Baixada Fluminense, mas também do Brasil e da humanidade. “Cada tijolo desses conta uma história, alguns deles tem até a marca das mãos das pessoas que ajudaram na construção. São pessoas anônimas que deixaram um patrimônio que nós temos a obrigação de entregar aos nossos sucessores em condições iguais ou até melhores”, disse o arquiteto.

Já o Cônsul Geral da Espanha no Rio de Janeiro, Luís Prados Covarrubias, se disse impressionado com as ruínas da fazenda São Bernardino, com os cemitérios e também a Torre Sineira. “É tudo muito interessante e bonito. São construções em harmonia com a natureza e que carregam elementos patrimoniais ricos. Fico muito contente em ver que a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, está trabalhando para recuperar este patrimônio”, comemorou.