Nova Iguaçu faz plano de combate a incêndio na Serra de Madureira

 

O clima seco que aumenta a incidência de incêndios é um dos motivos de preocupação da Prefeitura de Nova Iguaçu, que nesta segunda-feira (14), realizou uma reunião para definir o Plano de Combate a Incêndio na Serra de Madureira e em outras áreas de proteção ambiental.

“A Secretaria e a Defesa Civil vão atuar em conjunto com ações preventivas, de educação ambiental, fiscalização e também treinando as equipes para combater as chamas”, lembrou o secretario de Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fernando Cid.

Em maio deste ano, foram registrados cinco incêndios na Serra, onde há o trabalho e fiscalização de guardas ambientais. O clima seco aumenta a incidência de incêndios, a maioria provocado pela ação humana e com grande impacto no meio ambiente.

“Neste plano de contingência, a ideia é saber o que cada um vai fazer dentro de suas atribuições: Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Guarda Ambiental. A Defesa Civil vai ser a primeira ser contactada. Vamos trabalhar com a prevenção e se não adiantar é feito o combate. Os incêndios acontecem geralmente em maio até início de outubro”, explicou o gestor do Parque Municipal de Nova Iguaçu, Edgar Martins.

A principal ferramenta para controle direto do fogo é o abafador, que é um utensílio de uso manual que tem cerca de 2,5 metros de cabo de madeira de eucalipto — espécie resistente às chamas. A lâmina de borracha usada para abafar tem quatro milímetros de espessura, 45 centímetros de largura e 65 centímetros de comprimento.
Algumas precauções devem ser tomadas para evitar danos ao meio ambiente e riscos ao ser humano: não soltar balões ou fazer fogueiras, não jogar bitucas de cigarro pela janela dos carros, além de outros resíduos, como garrafas de vidro, que podem servir como uma lupa e potencializar a incidência do sol sobre a vegetação.